segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Gestão de pessoas e gerência de mudanças - Por Rogério Rosado

Falar de gestão de mudanças é falar também em gestão de pessoas. Afinal não existe qualquer mudança que não seja realizada por meio das pessoas e por pessoas.

A gerência de mudanças é apoiada em processos, tecnologias, conhecimento e pessoas e como tal, prescinde totalmente da relação que seus empregados têm com a empresa que trabalham e com os processos que fazem parte do seu dia a dia.

Algumas companhias adquirem novas tecnologias sem modificar suas práticas de recursos humanos assumindo erroneamente que os efeitos da tecnologia são independentes da estrutura organizacional na qual estão inseridos e que esta mudança não resultará em nenhum impacto no clima e na ambiência organizacional.

Em todo projeto é imprescindível que ele seja patrocinado pelos líderes e que estes tenham total comprometimento com o projeto, desde sua fase inicial até sua implementação definitiva.

Grande parte das empresas que iniciam um novo projeto que mudará drasticamente os processos da organização, não conhece sua cultura e não monitora seu clima organizacional e a sua ambiência. É de vital importância que se conheça de antemão a cultura organizacional em que a companhia está inserida e seus valores corporativos.

O maior desafio do processo de mudança organizacional se encontra justamente em conseguir que as pessoas mudem seus comportamentos e que seja trabalhada a resistência dos empregados quando se vêem frente a frente com alguma mudança.

Uma metodologia de gerência de mudanças eficaz é responsável por impulsionar a mudança de tal forma, que ela é capaz de quebrar as resistências e de derrubar todas as barreiras que impeçam a adaptação da empresa à nova realidade. Muitos dos projetos de mudança acabam como começaram, ou seja, sem qualquer tipo de mudança sustentável em processos, comportamento ou desempenho. Outros, funcionam no início, mas se perdem rapidamente por falta de foco ou outras variáveis.  

A gerência de mudanças age diretamente sobre esses impactos e ajuda a mitigar qualquer problema que venha a surgir de um novo processo ou projeto.

As pessoas são resistentes às mudanças e é por meio de uma gerência de mudanças associada com uma eficiente gestão de pessoas que a companhia vai conseguir levar a cabo seus projetos, visto que, qualquer mudança é fundamentalmente baseada na motivação das pessoas em realizar e fazer parte dessa mudança. Essa resistência é enormemente dizimada quando se estabelece uma estratégia de capacitação dos empregados, tanto os de linha gerencial quanto os de linha administrativa e operacional, seja na nova ferramenta ou nas competências estabelecidas ao novo projeto ou processo.

Tanto no início, como no andamento do projeto, podem surgir problemas que necessitem tanto de negociação a fim de sanar problemas ou de constante comunicação sobre o projeto às partes interessadas. E é por meio de um plano de comunicação que são realizadas as comunicações entre os “stakeholders” e os alvos das mudanças.

            Diante dos fatos expostos acima, podemos concluir que é de vital importância que toda companhia tenha uma eficaz e eficiente gestão de pessoas em qualquer mudança que venha a ocorrer na empresa e que essa gestão de pessoas caminhe lado a lado com a gerência de mudanças.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse texto. As mudanças são sempre importantes e necessárias, tanto para as pessoas quanto para as organizações.

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Brazil
Administrador de Empresas, com pós-graduação em Administração Financeira e MBA em Gestão de Pessoas.